Reabilitação integral de toda a envolvente exterior de Moradia

Numa altura em que a reabilitação de edifícios tanto por uma questão estética como por questões de conforto e economia de energia faz cada vez mais sentido, foi solicitado à Sotecnisol, a reabilitação integral de toda a envolvente exterior de uma moradia localizada na zona de Vilamoura. 

Esta apresentava inúmeras patologias: fissurações dos rebocos que provocavam infiltrações para dentro da habitação, infiltrações nas ligações entre o muro de suporte e as alvenarias, revestimento de acabamento dos paramentos verticais envelhecido, microfissurado  e atacado com fungos.

Após o levantamento de todas as necessidades detetas, deu-se inicio aos trabalhos: 
•As coberturas em telha cerâmica foram lavadas, verificado o seu estado e foram desobstruídas as saídas de recurso que existiam sob as telhas;
•As fachadas foram lavadas a jacto de água de alta pressão com produto anti-fugos, sendo as fissuras existentes nas fachadas avivadas e reparadas com argamassas de expansão controlada. Tendo sido previamente aplicado um primário de uniformização do suporte e seguidamente aplicado o revestimento final com características elásticas em três demãos. 
•Foram criadas ventilações nos panos de alvenaria e as zonas que tinham sido roçadas foram reforçadas com uma armadura de fibra de vidro com tratamento anti-alcalino.

Na zona de ligação entre o muro de suporte e a alvenaria foram usadas duas soluções:  
•Na zona contígua à área arrelvada foi aberta uma vala de drenagem com cerca de 0,70m e aberto um roço com cerca de 0,25m na zona de alvenaria de tijolo. Após regularização do muro de suporte, da zona do roço e da base da vala com argamassa, os mesmos foram impermeabilizados com uma tela betuminosa Ecoplas com armadura de poliéster e características anti raiz, tendo sido posteriormente aplicada uma manta alveolar de polietileno com geotextil incorporado Tecdrain para proteger e drenar as zonas impermeabilizadas. Na base da vala foi aplicado um tubo perfurado envolto em geotextil Tecgeo com a função de drenar para uma caixa existente. Sobre esse tubo foi aplicada uma camada de brita e mais um geotextil Tecgeo.

•Na zona que não era ajardinada, foi levantado o pavimento existente e abertos roços nas alvenarias e uma saída para a vala que tinha sido criada.
Essas zonas foram impermeabilizadas com tela betuminosa Ecoplas com armadura de poliéster, que foram posteriormente protegidas com um pavimento igual ao que existia assente em argamassa sobre um geotextil Tecgeo.

A obra foi executada em cerca de 30 dias.